Receba nossas newsletters:

UM CANAL COM MATÉRIAS E CONTEÚDOS
EXCLUSIVOS SOBRE O MUNDO CORPORATIVO.
PARA CONSTRUIR A SUA LIDERANÇA.

Compartilhe:
icone facebook icone e-mail
Capacidade de influenciar positivamente produz colaboração de qualidade
PUBLICADO EM: segunda-feira, 14 de maio de 2012
ESCOLA DE LÍDERES

CAPACIDADE DE INFLUENCIAR POSITIVAMENTE PRODUZ COLABORAÇÃO DE QUALIDADE

Capacidade de influenciar positivamente produz colaboração de qualidade

A fluidez da influência permite que líderes e liderados estejam em constante processo de negociação, amadurecendo os relacionamentos e a adesão a propostas e diretrizes.

A velha expressão “manda quem pode, obedece quem tem juízo”, embora ainda tenha sua serventia, vem perdendo força. Cada vez mais é a partir de relacionamentos bem elaborados que líderes tendem a conquistar não apenas a empatia como a colaboração de seus times. Para completar o quadro, um número grande de jovens profissionais chega ao mercado com uma mentalidade diferenciada; é pouca ou nenhuma a disposição de realizar tarefas a partir de ordens, sobretudo se estas forem incoerentes, não apresentarem um sentido ou uma possibilidade de aprendizado. Neste cenário, a habilidade de influenciar é uma chave preciosa, capaz de gerar movimentos benéficos na realização de tarefas específicas, motivar equipes e gerir projetos.

O grande desafio neste processo de influência, segundo José Eduardo Pinto Ribeiro, professor da Escola Integração, é conseguir gerar nos colaboradores o desejo de executar suas atividades, permitindo que estes se apropriem de seu trabalho e dos resultados de suas ações. A tendência contemporânea que coloca na ordem do dia palavras como inovação, criatividade e alta performance exige esta sofisticação. “O objetivo continua sendo a obtenção de equipes eficientes e eficazes, mas sem necessidade da figura do gestor centralizador e tirânico. Ao contrário, a partir da influência correta, a capacidade criativa das equipes tende a aumentar. A motivação também ganha incremento e times passam a trabalhar com maior fluidez”, afirma Ribeiro.

 Dicas da boa influência

 Para influenciar positivamente, o líder parte de um grupo de posturas básicas, aponta Eduardo Ribeiro. Primeiramente, sua credibilidade deve estar construída sobre bases sólidas. Aqui são especialmente importantes as qualificações, o conhecimento técnico, as capacidades já demonstradas e a inserção deste gestor no universo onde atua. Outro fator imprescindível é a coerência nos comandos e na linha de pensamento que guia o trabalho.  Modificar sem razão clara um direcionamento, contradizer-se ou duplicar pedidos são ações que minam a capacidade de influência. “É muito difícil que alguém acredite em um profissional que se mostra inconsistente em suas atitudes. E, sem que exista esta confiança mínima, a possibilidade de influência é praticamente nula”, coloca Ribeiro.

A humildade é outra característica do líder influenciador. Aquele que apenas manda e exige resultados em geral está calcado em um modo de operar arrogante, que tira do liderado o sentimento de valor e autonomia. Ao se sentir desrespeitado, este colaborador também não se deixará influenciar por ideias, propostas ou delegações tão facilmente. Ao contrário, se perceber estar diante de um líder humilde e transparente, de caráter confiável, tenderá a portar-se de forma mais aberta, a receber com maior aceitação as informações e diretrizes.

A dinâmica da influência diferencia-se da mera manipulação principalmente pelos limites éticos. “Ao usar de influência, o líder utiliza de informações que são de conhecimento de todos e visa que todos saiam ganhando com a sua ação. Na manipulação, apenas uma das partes conhece os fatos e os utiliza para obter vantagem sobre o outro”, conta Ribeiro.

A habilidade de negociação está presente, portanto, em todo processo de boa influência e, como tal, não se diferencia muito das trocas em outros contextos da comunicação humana. Ser agradável, oferecer algo de interesse em busca de reciprocidade e adesão, por exemplo, formam algumas linhas que são utilizadas quando se deseja influenciar, presentes também nos ambientes corporativos. A qualidade dessas relações tenderá a fazer da negociação uma constante, e não o mandato puro e simples. Uma influência constante na busca por melhores resultados onde a ética e o respeito permeiam as conquistas e ajudam a superar dificuldades.

Comentários: